Rabo-de-macaco (Hildewintera colademononis), cacto ornamental, exótico!

A natureza capricha mesmo!

O Rabo-de-macaco (Hildewintera colademononis) é um cacto originário da Bolívia, que se adapta bem ao clima do Brasil.

Floresce na primavera e verão, muito apreciado por beija-flores.
Pode ser mantido no sol ou meia sombra, não tolera geadas nem excesso de água. Prefere clima quente e seco.

O cultivo não requer muitos cuidados, não necessita de poda e a adubação pode ser feita uma vez por ano.

Prefere solos bem drenados. Uma mistura de areia, terra vegetal e matéria orgânica (húmus ou esterco curtido), na proporção 2-1-1, é o ideal.

Suas flores duram pouco, mas mesmo sem elas a planta é um espetáculo! Seus ramos - que podem chegar a 1 metro de comprimento - são revestidos de espinhos não agressivos, que tem a textura de um pêlo sedoso.

Extremamente ornamental se plantado em vasos pendurados ou em muros.

A propagação é feita através de sementes e de mudas. O Sítio dos Mimosos, em breve, terá esta espécie para fornecer aos seus clientes e amigos. Enquanto isso, vamos apreciando essa beleza à distância. Quem tiver interesse em comprar o rabo-de-macaco pode enviar um e-mail para reservar.

Hortênsia (Hydrangea Macrophylla), o 'segredo' das cores

Azul, rosa, branca, lilás e até verde. Cada espécie uma cor? Nada disso. Saiba como alterar as cores da hortênsia.

Hortênsias de diversas cores. Quem arriscaria a dizer qual é a mais linda?

O que determina a cor das hortênsias é o pH do solo onde ela está plantada. Um único pé de hortênsia é capaz de dar flores de cores diferentes ao longo da vida. Quem já não passou pela experiência de escolher cuidadosamente uma hortênsia rosa para comprar e se decepcionar depois, quando a tão sonhada planta rendeu uma nova florada toda azul? Isso não acontece por acaso, não é má sorte, nem truque do vendedor. Para que a hortênsia mude de cor, basta que o índice de acidez ou de alcalinidade do solo seja alterado. 

O nome científico Hydrangea macrophylla significa "bebedoura de água".  

A hortênsia é um arbusto, nativo da China e do Japão, que se espalhou pelo mundo como planta ornamental em meados do século XIX.  O nome 'hortênsia' foi uma homenagem a Hortense Lepante, dama francesa do século XVIII e mulher de um amigo do botânico francês Philibert Commerson, responsável pela introdução da planta na Europa. Popularmente essa planta é conhecida também como Hidrangea.

Na prática, se você comprou uma hortênsia rosa e plantou a muda em solo ácido, naturalmente, ela irá produzir flores azuis.

Então, vamos a algumas dicas de como alterar o pH do solo e, consequentemente, obter as diferentes cores da hortênsia:

Azul 
Solo ácido. Se sua hortênsia está rosa ou branca, o solo não está ácido. Então, para torna-lo ácido faça uma mistura de 20 g de sulfato de alumínio, sulfato de ferro ou pedra ume, diluída em 5 litros de água e regue a planta com esta mistura duas vezes por semana, começando cerca de 40 a 50 dias antes do início da floração.

Solos ácidos (com pH abaixo de 6,5), produzem flores azuis. Quanto mais alumínio, mais escuro será o tom de azul.

Lilás/violeta
Quanto mais alumínio e mais ferro contido no solo mais escura será a cor. Para obter um tom arroxeado, coloque palha de aço usada dentro de água. Deixe até que a água esteja da cor da ferrugem. Depois regue a hortênsia com esta água uma vez por semana.

Um tom que varia do lilás ao violeta indica a presença de ferro na composição do solo. 

Rosa
Solo alcalino - Se sua hortênsia produz "flores" azuis e você deseja que elas se tornem rosa, primeiramente pode a planta, eliminando a maioria das folhas, para eliminar o máximo de alumínio que a planta contém. Replante-a em um local com a terra preparada com uma mistura de 200 a 400 g de calcário dolomítico por m2. 

Solos alcalinos (com pH acima de 6,5), produzem flores rosas.



O calcário dolomítico é um corretivo para o solo que pode ser encontrado em lojas de produtos para jardinagem. Com ele você poderá ter o rosa em tonalidades variadas, podendo até resultar em flores brancas. Quanto mais próximo do neutro for o pH do solo, mais claras serão as flores.

Flores brancas = solo com pH neutro. 

















Adicionando CARBONATO de sódio (encontrado em lojas de plantas e de produtos agrícolas, não confundir com bicarbonato de sódio) à terra pode-se conseguir flores multicoloridas.

Ter um jardim colorido, cheio de hortênsias floridas... É um sonho ou não é?

Ah, mas e as flores verdes? Hum, esse é outro 'segredo'. Quando o buquê começa a se formar, as flores ainda são verdes, amadurecendo lentamente até adquirir a cor final.

Hortênsia com flores verdes.

OPA! 
Manipular a cor das suas hortênsias com as dicas acima pode ser agradável, curioso, muito legal! Porém, dicas caseiras como estas não substituem o trabalho técnico-científico de análise química do solo, ok? Se você tem dúvidas sobre o seu solo, quer saber se ele está adequado ou não para o plantio de qualquer espécie, consulte um agrônomo. Você encontra o serviço de análise do solo em empresas de consultoria agrícola e diversas lojas de produtos para jardinagem e para o trabalho no campo. 

Em breve postarei como fazer mudas das hortênsias. Acompanhe, compartilhe!

Tutorial: Como tirar as mudas de pata-de-vaca da sementeira

Chegou a hora!

Ah, que alegria...  ver essas meninas assim, crescendo com tanta vontade!
É um bálsamo, um antídoto contra qualquer estresse de cidade grande... Quem ainda não experimentou, precisa testar.

Para quem não sabe do que estou falando, leia o post sobre o plantio das sementes:
Germinando sementes de Pata-de-vaca branca (Bauhinia forficata)

Essas mudas estão sendo cultivadas no Rio, no apartamento e não no Sítio dos Mimosos, como muitos amigos podem imaginar. A ideia é mostrar o quanto cultivar algumas mudas pode ser simples. Você não precisa ter uma fazenda, um sítio ou um quintal grande para plantar uma árvore, só precisa querer. Com um mínimo de recurso e de tempo você também pode plantar suas árvores.

Meu espaço em casa é muito limitado. Em nenhum outro lugar do apartamento as plantas sobrevivem, a não ser na janela, onde bate sol. Ok, então, vamos lá! Adaptei o cultivo para a janela e, quando chegar a hora de plantar as mudas em um lugar definitivo, vou procurar os canteiros vazios na rua, aqui no meu bairro mesmo.

É um prazer compartilhar isso com todos, vocês não imaginam quanto! Espero que essa experiência e essas dicas possam inspirar muitas pessoas a fazer o mesmo em sua cidade, seu bairro. É um benefício para quem faz, para todo o meio ambiente e custa quase nada.

Veja as fotos abaixo. Aproveitem! Se precisarem de sementes ou de outras dicas, é só chamar!



Continuando... (se você não viu, veja o o slide acima)

... e vá separando cada muda.
Delicadeza é a chave do sucesso!
Alguns segundo depois... Aí estão as nove mudinhas, lado a lado.
Agora, com a ajuda do pregador de roupa (ou com o dedo, se preferir), vá abrindo os furos no substrato.
Cada saquinho um furo.
Em seguida, é só ir colocando as mudas no lugar.
Se a raiz estiver  mais comprida que o furo não se preocupe. Ela vai ficar acomodada dentro da terra do mesmo jeito.
Algumas raízes podem ser bem grandes. Ok! Acomode a muda na terra e, com a ponta dos dedos, vá preenchendo os espaços vazios com o substrato, mas sem acalcar.
Cada uma no seu espaço...
Agora é a vez de regar.
Peguei a sobra do húmus que estava na sementeira e coloquei por cima de casa saquinho.
Reguei novamente e pronto! Agora é só esperar até que elas alcancem o tamanho para serem plantadas no local definitivo.
Comentem, compartilhem!

Como plantar as sementes de ipê amarelo

Sementes de ipê amarelo (Tabebuia chrysotricha). Saiba mais sobre essa espécie aqui.

Vamos usar 30 sementes, uma vasilha pequena de vidro e um pouco de água. As sementes precisam ficar de molho por 48 horas para quebrar a dormência.


Coloque as sementes na vasilha e cubra com aproximadamente 4 cm de água. 


As sementes são muito leves e vão ficar boiando. Então, mexa um pouco com os dedos para ajudar a umedecer as sementes. Faça isso novamente mais uma ou duas vezes ao longo do tempo que ela vai ficar de molho, sempre que perceber que as sementes estão acima da água.


Não é necessário ficar preocupado (a) com elas. Ao longo das horas a água vai penetrando aos poucos na semente e elas já não ficarão tão "impermeáveis" à água quanto pareciam no primeiro momento. O "truque mágico" é deixar o potinho no sol. Não no sol escaldante, claro, mas em um lugar que pegue pelo menos um pouco de sol por dia, de preferência o sol da manhã. Isso vai acelerar o processo de germinação, você terá um aproveitamento muito maior das sementes. 

Passadas as 48 horas... momento de plantar! 


Usamos um vaso pequeno, com 13 cm de diâmetro por 10 cm de altura. Você pode usar húmus de minhoca, terra vegetal, terra adubada ou mesmo a terra do seu quintal. O importante é que ela esteja sem torrões e tenha uma boa drenagem da água. Nós optamos pelo húmus.


Escorra a água das sementes e coloque uma a uma sobre a terra, sem enterrar. 


Das 30 sementes, 3 estavam assim, como uma pequena raiz. Esse fato é útil para observarmos que a raiz brota do lado mais chato da semente, ou seja, na hora de colocar na terra, o lado boleado (mesmo da semente que não apresentou raiz nesse estágio), deve ficar para cima.


Todo o mundo no seu lugar... Agora, é hora de cobrir o vaso com uma camada de substrato (húmus, terra, o que você escolheu...), de aproximadamente meio centímetro e regar, com cuidado para não deixar as sementes de fora!


Feito isso, após 6 dias, surge a primeira muda...


E daí por diante não pára mais...




Passados 10 dias, das 30 sementes plantadas, 30 nasceram, 100% de aproveitamento! Isso é bastante raro, o normal é ficar acima dos 80%. Eu atribuo o excelente resultado a alguns fatores que valem ressaltar:
  • Semente novas - as sementes perdem seu potencial de germinação com o tempo, o ideal é que seja plantado, no máximo, até 6 meses após a colheita. Essas foram colhidas 20 dias antes do plantio.
  •  Substrato rico em matéria orgânica - ipês adoram! Escolhemos o húmus por ser altamente nutritivo, sem risco de acidez ou excesso de nutrientes para as sementes.
  • Clima - Durante o período da germinação fez sol e também choveu, proporcionando uma boa amplitude térmica, mas sem fazer frio. O plantio foi feito no dia 20 de novembro de 2014.
  • Atenção - Processo cuidadoso, mas sem frescura. Foram 48 horas de molho para quebrar a dormência, rega diária, local com boa ventilação e condição de luz, mas sem nada de muito especial. O vaso ficou na janela de um apartamento, no Rio de Janeiro. 
Qualquer pessoa pode (e deve) plantar! Se você não tem quintal, plante para distribuir entre os amigos ou nos canteiros e parques da sua cidade. É simples, é barato, não requer nada de especial, dá muita alegria e todos nós agradecemos! 


De uma semana a 10 dias estas mudinhas já estarão no ponto de serem separadas e colocadas em recipientes individuais. Acompanhe! Visite a página Ipê brasileiro.

Para adquirir sementes de ipê-amarelo para plantar, fale com o Sítio dos Mimosos, são 30 sementes de ipê-amarelo (Tabebuia chrysotricha), por R$ 10,00, com envio por carta registrada. Para fazer o pedido, envie seu endereço completo com CEP para ipe@sitiodosmimosos.com.br

Obrigada pela leitura. Comente, compartilhe, participe!